Couro, sintético, nobuck e camurça: Conheça as diferenças

Muitas vezes, quando buscamos uma peça em couro, seja uma jaqueta, um calçado, uma bolsa, um cinto ou outros produtos, podemos enfrentar algumas dificuldades em diferenciar o material de confecção do produto. 

O couro e o sintético podem apresentar características bem similares visualmente, assim como a camurça e o nobuck. Por isso, selecionamos algumas dicas para você não errar nem ser enganado no momento da compra.

Couro

A peça em couro é feita da pele bovina curtida ou de outros animais quadrúpedes e possui acabamento natural e elegante. 

Diversos materiais similares são oferecidos no mercado com preço inferior, todavia, é possível diferenciar o couro original com algumas características específicas do revestimento. Algumas dicas para identificá-lo são:

  • verifique se consta alguma etiqueta no calçado informando que o mesmo é feito em couro,
  • cheire a peça, o couro possui um aroma bastante forte e peculiar,
  • o material enruga quando pressionado, similar a pele humana, por isso, aperte-o para ver como ele se comporta sob fricção,
  • analise a espessura do couro, o material genuíno costuma ser mais encorpado,
  • confira se as bordas são ásperas, visto que o couro é composto por fibras. Elas proporcionam este aspecto nas beiradas, próximas às costuras, por exemplo.

É válido lembrar que todas as peças de couro são confeccionadas a partir da pele do animal, que passa pela retirada dos pelos e por um curtimento químico. Por isso, cada peça é única, visto que nenhum bicho é exatamente igual ao outro. 

Assim, as superfícies geralmente são irregulares e podem apresentar diferenças. O material legítimo pode ter imperfeições, o que não é nada negativo, já que o material frequentemente possui vincos, arranhões ou rugas.


Peças em couro são muito utilizadas para frequentar ambientes sociais, pela sofisticação que agregam ao visual, tanto para o dia quanto para a noite.

Sintético

É  bastante parecido com o couro animal, porém, menos resistente e durável, descascando com facilidade. Por isso, esse tipo de peça costuma ser mais em conta do que o material autêntico. 

Algumas diferenças que caracterizam o sintético em relação ao couro são:

  • peças idênticas, produzidas em larga escala,
  • impressão e textura de material plastificado,
  • superfície lisa e homogênea,
  • espessura fina,
  • inodoro.

O sintético pode ser uma boa escolha visando o custo/benefício para adquirir produtos que serão utilizados em curto prazo. 

Nobuck

Tem origem da parte externa da pele, que é bastante lixada e possui um aspecto suave.

No momento da aquisição do produto de couro nobuck, fique atento às seguintes características:

  • acabamento fosco,
  • toque aveludado,
  • superfície lisa e resistente.

Mais delicado do que a camurça, por exemplo, o nobuck é ideal para momentos casuais por conta de seu acabamento despojado.

Tanto em ambientes de trabalho quanto na rotina diária, o material cai muito bem. Combina com peças básicas, como o jeans ou oxford.

Camurça

A camurça também é couro, porém, utilizado do lado oposto. Para obter a aparência mais rústica, a parte interna do produto é lixada, ganhando textura e um visual diferenciado. 

Os “pelinhos” que apresenta são resultados do curtimento químico realizado de maneira diferente do couro utilizado em seu lado comum. 

Para identificar a camurça, verifique se a superfície do material apresenta os seguintes aspectos:

  • acabamento levemente aveludado (com pequenos pelos),
  • toque áspero,
  • leveza e flexibilidade.

Esse tipo de couro é muito utilizado na confecção de botas, botinas, bolsas e jaquetas. Geralmente, as peças são mais utilizadas em situações rotineiras e combinam muito bem com estilos cowboy (boiadeiro/vaqueiro) e motoqueiro.

Como preservar suas peças

Exceto o sintético, que possui curta duração, materiais em couro, nobuck e camurça, são bastante resistentes. Por isso, pode ser interessante tomar alguns cuidados para preservar seu produto, mantendo-o em bom estado e com um visual bonito.

Para que seu produto não manche, desgaste ou desbote, você pode:

  • evitar dobrá-lo,
  • guardá-lo sempre limpo e seco,
  • evitar exposição excessiva à luz e ao calor,
  • realizar o armazenamento com capa de proteção em algodão ou TNT (tecido não tecido),
  • utilizar cabides acolchoados e bem estruturados,
  • seguir as instruções da etiqueta quanto à limpeza do produto ou optar por utilizar serviços de lavagem profissional,
  • não utilizar no material produtos sem testagem prévia,
  • não colocar anti-mofos no armário próximo ao couro,
  • inserir as peças, seguidamente, em local arejado para ventilar.

Especificamente na camurça, é possível pentear o material, garantindo a remoção de quaisquer sujeiras que possam ter ficado entre os pelos. Dessa maneira, eles ficarão no mesmo sentido, garantindo uma aparência ainda mais bonita.

Quanto ao couro animal, assim como a pele humana, pode-se hidratá-lo com creme corporal sem corantes, evitando ressecamento e a criação de vincos.

Agora que já sabe identificar cada material, bem como escolher quando usá-los e como conservá-los, fica mais fácil estabelecer suas preferências. 

Tendo essas noções, você não errará mais no momento da aquisição, nem comprará um produto com determinado revestimento acreditando ser outro.

Tem algum outro truque que você utiliza para verificar se o material é couro, nobuck, sintético ou camurça? Conte nos comentários as suas experiências e sugestões. 

Não esqueça de enviar este conteúdo para aquele amigo (a) que ama desfilar peças em couro e vai tirar proveito destas informações.